Programa de Mentoria

Vitório Ferreira, Bolsista do Programa de Mentoria do Madruga BTW e Estudante de Direito.

Aprovado pelo Sisu no curso de direito da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (Uern), campus Natal, Vitório da Silva Ferreira, 17 anos, tem uma história de superação. O jovem que concluiu o ensino médio na Escola Estadual Berilo Wanderley, no bairro de Neópolis, chegou a dormir na rua por problemas familiares em casa.

Hoje, aprovado em direito, Vitório sonha com um futuro promissor. “Eu encontrei na educação uma perspectiva de melhora. Eu espero ser um bom advogado, para depois ser um bom delegado. Esse é o meu sonho de vida, conseguir passar em um concurso público para poder ajudar outros jovens que estejam em situação de fragilidade”, finaliza.

A mentoria para Vitório é prestada por Ana Maria Belotto, Ana Beatriz Presgrave e Claudia Chagas.

Projeto Aldo Parisot, Escola de música da UFRN

O projeto Aldo Parisot tem como objetivo o ensino da música clássica em diferentes partes do Rio Grande do Norte, com foco inicial na região do Seridó. As habilidades musicais desenvolvidas são fundamentadas na área dos instrumentos de corda: violino, viola, violoncelo.

O Rio Grande do Norte tem um expressivo movimento de bandas filarmônicas e de fanfarras. Portanto, o projeto viabilizará, por meio do ensino de instrumentos de cordas em cidades do interior, a formação de orquestras sinfônicas e a inserção da juventude potiguar em um espectro cultural amplo, desenvolvendo aspectos como cidadania e igualdade de gênero e colaborando para a formação de novas lideranças locais e regionais.

A iniciativa conecta perfis de liderança femininos no interior do estado, buscando o protagonismo da mulher na música clássica e a inserção de ações culturais em regiões rurais. “O público-alvo dos primeiros encontros são meninas do interior que tenham entre 10 e 15 anos, pois o projeto pretende não só enfatizar a música, mas os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, em especial o ODS 5”, diz Fabio Soren Presgrave, coordenador do projeto e Diretor Adjunto da Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – EMUFRN.

O violoncelista Aldo Parisot nomeia o projeto, pois sempre sonhou com um movimento artístico de qualidade internacional para o Nordeste. Parisot planejava iniciar, no Rio Grande do Norte, concursos e festivais que atraíssem grandes artistas de todo o mundo. Por não ter obtido sucesso na implantação no estado, acabou realizando seus projetos na Paraíba, onde as ações tiveram um grande impacto para que o local fosse, por muito tempo, referência para a música brasileira. Sendo assim, o projeto da EMUFRN, que é apoiado pela família do violoncelista, devolve o foco da produção de música clássica à região potiguar buscando promover uma revolução sociocultural no Rio Grande do Norte.

O primeiro lote com 52 instrumentos foi doado pelo escritório e entregue ao projeto em 2022, possibilitando o início das atividades. Músicos e professores organizaram uma turnê no interior do estado para apresentar os instrumentos à alunos da rede pública. A Secretaria de Educação de Caicó estima que mais de mil crianças tiveram contato com os instrumentos de corda com a circulação dos professores.